Textos de Luciano

networking

me intoxico nas suas palavras
as que não têm sentido
até não ver mais nelas qualquer forma

sem sentir o que me constitui
incorpóreo flui
como o trabalho e os dias e o dinheiro

fico sentado a esperar o momento certo
pra te capturar, te repetir pro mundo
e perpetuar o seu desprezo

selfie

olá, meu nome e Luciano e sou poeta.

dizer isso é soar pretensioso
quase que instantaneamente
e você logo pensa que
  não sou grande coisa
  falo isso pra me engrandecer

    e, nesse caso, tem toda a razão.

a diferença é que sou sincero.
manipulo com vontade minhas palavras falsas
mal usadas
sinceramente.

não sou poeta por falta do que fazer,
essa é a minha forma de parecer maior
sem fazer biquinho.

shiver

amiga
  o tempo passou e ainda brota em cada canto
  seu nome
    em tinta colorida

não falei contigo por medo
confundo facilmente amizade com convívio
e nada mais devo ter em comum com você

te escrevo pra dizer
  que conquistei a vida
  e que nada me importa mais

  que os problemas
  soam como sirenes
       como sereias
    aos meus ouvidos
      que não sabem mais reconhecer a sua voz

  que não sei seu endereço
  e o quanto queria poder visitar algum lugar contigo
    seja quem for
    só pra um chá
    por um inverno

  que meu propósito não existe
  e que só vivo pra te escrever
  em mais uma carta

cosmético

as pessoas me vêem e me dizem
que nem parece que eu terminei
uma relação tão profunda e tão longa
que eu pareço radiante, leve
e até mais bonito

eu não sei se acredito nisso
que era o que eu precisava pra ser feliz
ou se é porque
todos os dias
uso o sabonete de rosto que ela deixou
pra ver se acaba logo

ao atravessar da fronteira

o amor existe
e não há o que me convença do contrário

mas ele não é uma pessoa, nem um potencial,
não é tópico, trópico, nem tem um pingo de sexual.

ele existe

e se revela
como uma antiepifania que
  em vez de se realizar pela repentina resposta genial
se materializa do ar ao você se propor
  um momento de confusão

entre
  onde termina você
e
  começa todo o resto

    (por favor,
entre)